Para retomar a recuperação da economia e unir esforços, o governador Eduardo Pinho Moreira reuniu na tarde desta sexta-feira, 1º de junho, representantes dos setores produtivos do Estado e anunciou o lançamento da campanha “Compre de Santa Catarina”. É a primeira ação para que junto a todos os segmentos catarinenses o Estado reaja ao impacto da paralisação de 11 dias nas rodovias e, assim como em outros momentos de dificuldade, como foi o desastre de 2008, buscar a união de todos para garantir a recuperação da economia. “O Governo está aberto ao diálogo e com a união de esforços Santa Catarina vai se reeguer”, destacou.

Eduardo Pinho Moreira apresentou o impacto na arrecadação do Estado durante o período de paralisação nas rodovias e, principalmente, o trabalho realizado por todas as secretarias, junto com as Forças Armadas, no comitê de crise instalado desde a terça-feira, 22 de maio, que deixou Santa Catarina como referência no país. “Em nenhum momento faltou decisão. Agendas foram suspensas para dedicação exclusiva, para manter tudo em funcionamento e equilíbrio, sabendo o momento certo de agir”, disse.

As entidades apresentaram os prejuízos estimados m cada área e o governador Eduardo Pinho Moreira pediu união de esforços, diálogo e principalmente trabalho para reverter a crise. “Vamos manter o diálogo e construir em conjunto soluções para que Santa Catarina recupere sua vitalidade econômica”, enfatizou.

Compre de Santa Catarina

A partir do próximo dia 8 de junho, a Campanha “Compre de Santa Catarina” terá o objetivo de estimular o consumo de produtos catarinenses, como forma de restabelecer a economia, manter e gerar empregos e valorizar ainda mais os produtos do Estado. “Santa Catarina tem uma capacidade surpreendente de reação. A campanha é para que os catarinenses saibam que os nossos produtos são reconhecidos mundialmente e que passamos pela crise, agora é hora de valorizar o trabalho”.

Baixa no valor do milho

Diversas entidades se posicionaram sobre o alto valor da saca do milho da Companhia Nacional de Abastecimento, Conab, durante a reunião desta sexta-feira, 1º de junho, que estava saindo por R$ 41,40. Atendendo a essa demanda, o Governo de Santa Catarina rapidamente negociou com o Ministério da Agricultura e ao fim da reunião o secretário de Agricultura Airton Spies anunciou que a Conab concordou em reduzir o preço dos R$ 41,40 cobrados até esta sexta-feira para R$ 37,80, e fixar a medida pelos próximos 15 dias. “O preço ficou abaixo do preço médio de mercado praticado no ástado e isso da um apoio aos produtores e agroindústrias que estão se recuperando da paralisação dos caminhoneiros”, comemora Spies.

Reconhecimento

Glauco José Côrte, presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) elogiou o trabalho do Governo do Estado, principalmente da Polícia Militar de Santa Catarina, e disse manter contatos animadores em todas as regiões para a retomada da normalização da situação.

O general Ricardo Miranda Aversa, comandante da 14ª Brigada de Infantaria Motorizada do Exército Brasileiro, destacou o trabalho em conjunto com a Polícia Militar de Santa Catarina e a organização das informações no Centro de Integração e Gerenciamento de Desastres e Crises (Cigerd), garantindo que as intervenções fossem feitas de forma estratégica, sem perda de vidas e sem vítimas.

Rodrigo Collaço, presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina, destacou a atuação integrada de todas as áreas e a experiência vivida nesses dias. “Vejo essa situação semelhante às calamidades em Blumenau. Quando a água baixa, o pessoal já vai limpando lojas, ruas, e voltando ao trabalho normal”, disse Collaço, quando comparou a situação com a enchente vivida em Blumenau em 2008.

Fonte: SEFAZ SC

Comente aqui:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.